Notícias do Mercado Imobiliário

02/08/2016
Tamanho da Fonte: A- | A | A+

Novas medidas da Caixa prometem impulsionar ramo imobiliário

Envie por E-mail
A Caixa Econômica Federal, no mês de julho, anunciou novas condições de financiamento habitacional para as operações com recursos de poupança.  Umas das mudanças foi o aumento da cota de financiamento, de 70% para 80%, nos imóveis novos, e de 60% para 70% em caso de imóveis usados no Sistema Financeiro Imobiliário (SFI).

Em entrevista exclusiva à Agencia Caixa de Notícias, o vice-presidente de Habitação da Caixa Econômica Federal, Nelson Antonio de Souza, falou sobre essas novas modalidades de financiamento. "As medidas que estamos adotando agora vão aumentar a velocidade das contratações. Isso é bom para a CAIXA, para o cliente, que tem juros menores e para economia, porque gera emprego e renda."

A Caixa também aumentou o limite de financiamento de R$ 1,5 milhão para R$ 3 milhões no Sistema Financeiro Imobiliário (SFI). Essa medida vale tanto para imóveis novos e usados. "O mais importante é que não há transferência de recursos da habitação social para a de mercado. Não haverá qualquer mudança nos recursos do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV)", avalia o vice-presidente. .

Quando questionado de onde são os recursos para habitação de mercado, Nelson Souza informa que virão do retorno da carteira de poupança, o SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo), do mix de LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e do CRI (Certificado Recebível Imobiliário), podendo chegar a R$ 16 bilhões. "Os recursos, para esse segundo semestre estão totalmente garantidos, mantendo intactos os recursos que estavam previstos para a habitação social", avalia.

Nelson Souza diz que até o final do ano serão oferecidos R$ 16 bilhões para a conclusão e construção de empreendimentos pelo Plano Empresarial da Construção Civil e pela linha de apoio à produção "No caso do Plano Empresarial, nós vamos financiar empreendimentos que já estejam com 80% construído. A ideia é complementar o que falta para ele concluir a obra e garantir o financiamento das unidades habitacionais."

Já a linha de produção é para ajudar as empresas que querem financiar os seus empreendimentos e não têm os 80% da obra concluída. "Queremos reaquecer a economia e o setor da construção civil para que tenhamos sempre mais emprego e renda. Essa linha de produção é uma modalidade que o tomador do empréstimo tem de comprovar 100% do custo da obra para financiar. Ele diz que vai gastar R$ 20 milhões, por exemplo. Para que a CAIXA financie, a empresa precisar ter 20% deste valor, ou seja, R$ 4 milhões, ou 30% das unidades habitacionais vendidas. Neste caso, não haverá concessão de financiamento diretamente à construtora, mas, sim, aos consumidores finais", declara Souza.

Entre as vantagens, o vice-presidente explica que cliente não corre o risco de não conseguir aprovação do financiamento e reduz os riscos dos distratos. "Para o consumidor é bom, porque viabilizamos o financiamento direto na planta. O comprador, além de fugir dos índices de reajuste de preços e tendo a sua dívida reajustada pela TR, não corre o risco de fazer um contrato de compra e venda com a construtora, pagar e não conseguir aprovação para o financiamento quando o imóvel estiver pronto. Para a construtora, acelera a velocidade de vendas, reduz os riscos de distratos. E para a CAIXA, diminui o risco de financiar a produção de empreendimentos que, depois de prontos, tenham dificuldade de comercialização", explica.

Fonte: Site Oficial da Caixa Econômica Federal

Todas Notícias
28/03/2017 - Especial IR - É vantagem incluir as benfeitorias no imóvel?
Confira a opinião dos especialistas
24/03/2017 - Decoração - Leve o Efeito Camurça nas paredes da sua casa
Suvinil preparou um passo a passo para inovar o visual
22/03/2017 - Especial IR - É permitido declarar o valor atualizado?
Especialistas explicam quais gastos podem ser incorporados
21/03/2017 - SP Imóvel apoia evento de investimentos imobiliários nos EUA
Investir USA Expo será realizado nos dias 7 e 8 de abril
20/03/2017 - Decoração - Deixe sua casa no clima do Outono
Aposte nos tons de laranja, marrom e azul marinho
17/03/2017 - Especial Imposto de Renda: principais termos
Conheça os significados das expressões mais usadas no IR
16/03/2017 - Secovi prevê retomada do mercado imobiliário
Sindicato da Habitação estima crescimento de 5% e 10%
15/03/2017 - Quais as vantagens do seguro fiança?
Modalidade de garantia proporciona segurança e agilidade
13/03/2017 - Especial Imposto de Renda - Quem precisa fazer a declaração?
Governo espera receber 28,3 milhões de declarações
07/03/2017 - As mulheres e o poder da compra do Imóvel
90% das decisões de compra são feitas por elas
03/03/2017 - Especial Imposto de Renda: novidades na declaração de 2017
Preenchimento e entrega em um único programa
01/03/2017 - Zelador: quais as responsabilidades?
Especialista explica as principais atribuições da profissão
22/02/2017 - João Doria conversa com empresários do ramo imobiliário
Programas de habitação estão entre as metas do Prefeito
15/02/2017 - Planejamento é o segredo para compra da casa própria
Consultora Financeira dá dicas para realizar o sonho
13/02/2017 - Quem deve pagar o IPTU: proprietário ou inquilino?
Dever é do locador, mas lei permite locatário pagar imposto
09/02/2017 - Contratos de aluguel residencial crescem 22,41%
Locação de apartamentos são preferências dos paulistanos
08/02/2017 - Apartamentos são os mais vendidos
Dezembro registou comercialização de 61,54% das unidades
06/02/2017 - Minha Casa Minha Vida atinge famílias com renda até R$ 9 mil
Governo anuncia ampliação do programa
06/02/2017 - Dicas para estimular as crianças com decoração
Suvinil, marca de tintas, preparou sugestões para inspirar

Lançamentos

Tatuapé
São Paulo
2 e 3 Dorms
1 Suíte e 2 Vagas
Itaquera
São Paulo
2 Dorms
2 suítes
Brooklin
São Paulo
3 Suítes
2 Vagas e Lazer
Jardim Palermo
São Bernardo do Campo
2 e 3 Dorms
1 Suíte e Vagas
Tatuapé
São Paulo
2 e 3 Dorms
Suíte e Varanda
Pinheiros
São Paulo
1 e 2 Dorms
1 a 2 Vagas

BAIXE APLICATIVOS

CONECTE-SE