Curiosidades
16.jan.2019
Tamanho da Fonte: A- | A | A+

Quanto ganha um síndico profissional?

Administrar um prédio exige conhecimento e disposição

Imagem Quanto ganha um síndico profissional?
Logo Copiar Blog Notícia

Administrar um prédio exige atenção, paciência, disposição e muito jogo de cintura para lidar com alguns conflitos. E o síndico tem responsabilidade gerenciar as tarefas do dia a dia, zelar pelo bem-estar dos moradores e administrar as contas do prédio.

Já foi o tempo em que o síndico era apenas um morador do prédio, hoje, é preciso se aperfeiçoar cada vez mais. Por isso, os condomínios em São Paulo estão optando por contratar um síndico terceirizado, que tenha conhecimento técnico para gerenciar os funcionários, fazer manutenções, acertos de contas, convocação de assembleias e etc.

Para o diretor da CreditCon e especialista em direito imobiliário, Dr. Hadan Palasthy, o síndico profissional já encontra inúmeras formações e cursos para se aprofundar em assuntos, como: contabilidade, legislação, administração, manutenção, relacionamento interpessoal, entre outros. "Algumas empresas e instituições já oferecem opções de cursos e formações, como a Universidade SECOVI, SENAC e SEBRAE. São opções presenciais e online", afirma.

As remunerações para esta nova modalidade podem variar muito, mas partem de um salário mínimo podendo chegar até R$ 6 mil. De acordo com o Dr., para quantificar este valor é necessário avaliar o período de permanência do síndico no prédio (carga horária dedicada), problemas a serem solucionados, equipe de trabalho, tamanho do empreendimento, entre outros pontos.

Como qualquer outra profissão o síndico também precisa se capacitar para ter um bom desempenho, pois, desta maneira, terá diferenciais administrativos. Abaixo, confira algumas habilidades, que são essenciais aos síndicos que desejam se profissionalizar:

Noção de legislação:
Conhecer um pouco das leis que fazem parte do setor condominial é importante para lidar com burocracias que eventualmente podem acontecer, como por exemplo, a inadimplência do morador. Saber a quem recorrer e o que é legal ou não neste momento, é extremamente importante.
Conhecimento em gestão condominial
O síndico lida com pessoas o tempo todo e muitas vezes precisa intermediar conflitos. Ser impessoal e amenizar desentendimentos são pontos cruciais para manter a harmonia entre os moradores. "Pessoas divergem o tempo todo, por isso, é importante ter a presença de um mediador para equilibrar e manter as coisas no controle", conta Dr. Palasthy.
Gestão de pessoas
"Manter a sustentabilidade do prédio no que diz respeito às finanças realmente é algo desafiador, pois muitos gestores condominiais possuem diversas dificuldades em fazer e manter um planejamento financeiro para o prédio. Buscar conhecimento nesta área e ter familiaridade com gestão fiscal e financeira é fundamental", afirma Dr. Palasthy.
Familiaridade com tecnologia
Já existem diversas maneiras de otimizar a comunicação entre síndicos e condôminos, seja por meio de um site com intranet ou mesmo por aplicativos. Estas opções podem intermediar o contato e levar informações atualizadas a todos.

Não existe uma fórmula mágica para ser um bom síndico, mas o tempo dedicado pode ser algo importante para a profissão. "Hoje existem alguns cursos para qualificação do síndico, porém, pouquíssimos se mostram completos e é certo que o aprendizado nunca acaba. Bagagem, vivência e qualificação técnica podem formar e contribuir muito na vida profissional do síndico", finaliza Dr. Palasthy.

Fonte:
SP Imóvel
O Portal de Imóvel em São Paulo de São Paulo
www.spimovel.com.br/
Equipe de Jornalismo
Grupo de Portais Imobiliários
SP Imóvel
< Post Anterior
Quem paga o IPTU do imóvel alugado?
Próximo Post >
Roteiro Gastronômico na Serra da Cantareira