Curiosidades
Atualizado em: 23.jun.2024
Tamanho da Fonte: A- | A | A+

Tudo o que você precisa saber antes de comprar seu primeiro imóvel

Confira taxas e despesas envolvidas na compra de um imóvel além do financiamento

Imagem Tudo o que você precisa saber antes de comprar seu primeiro imóvel
Logo Copiar Blog Notícia

Dar início ao processo de comprar um imóvel pode surpreender a maioria das pessoas que passam por isso pela primeira vez. Que o custo mensal do financiamento é alto e costuma durar por vários anos, a maioria já sabe. No entanto, existem detalhes menos propagados que precisam ser planejados. Por isso, essa é uma decisão que exige planejamento, pesquisa e uma compreensão clara de todos os custos e responsabilidades envolvidos.

Antes de dar esse passo importante, você precisa se preparar e se informar. Neste artigo, apresentamos as partes mais importantes que você precisa saber antes de comprar seu primeiro imóvel.

 

1. Poupe 20% do valor do imóvel para a entrada

Essa não é uma etapa opcional. A maioria das instituições financeiras exige que você faça um pagamento inicial de pelo menos 20% do valor total do imóvel como entrada para o financiamento.

Portanto, é importante começar a poupar com antecedência para garantir que você tenha os fundos necessários disponíveis quando chegar a hora de comprar. Em alguns casos, você pode recorrer ao FGTS para complementar o valor da entrada.

 

2. 30% da renda mensal ficará comprometida

Ao planejar a compra de um imóvel, é importante levar em consideração o impacto que o financiamento terá em sua renda mensal.

O financiamento imobiliário pode comprometer até 30% da renda mensal da família com as prestações do crédito habitacional, conforme prevê a Lei do Comprometimento de Renda – Lei Nº 8.692 de 28 de julho. Para isso, é possível compor a renda com outras pessoas, com cônjuges e pais e filhos, as regras podem variar de acordo com a instituição financeira. 

Uma boa dica é você tentar guardar esse valor antes de fechar negócio ou mesmo iniciar o processo de compra. Assim, pode investir o dinheiro para a entrada e ainda se acostumar com o estilo de vida de uma renda menor. Lembre-se que o financiamento é um compromisso a longo prazo, de 30 a 35 anos, normalmente.

 

taxas e despesas na compra de um imóvel

Imagem: Freepik

 

3. Gastos com documentação

Além do valor do imóvel e da entrada, você também precisará considerar os gastos com a documentação necessária para a compra. Isso inclui taxas como o ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis).  O valor do ITBI varia de uma cidade para outra, normalmente, fica entre 2% e 3% do valor total do imóvel. Esse custo é responsabilidade do comprador pagar.

Além disso, há custos do cartório para registro do imóvel e honorários de outros profissionais envolvidos, como advogado e engenheiro. Por isso, considere pelo menos 5% a mais do valor do imóvel com despesas extras.


 

4. Gastos adicionais

Além das despesas iniciais com a compra do imóvel e a documentação, é importante lembrar-se dos gastos adicionais que você terá após se mudar para o novo imóvel. Isso inclui despesas como IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), contas de água, luz, condomínio (se aplicável) e outras despesas de manutenção e reparos.

Também há os gastos essenciais que não estão ligados ao imóvel, mas podem aumentar com a mudança, como alimentação e transporte.

Tudo isso ainda precisa ser somado aos gastos já existentes.

 

5. Amortização das parcelas do financiamento

A amortização é o processo de reduzir gradualmente a parcela do financiamento ao longo do tempo, à medida que você realiza os pagamentos mensais. A cada parcela paga, uma parte do valor é destinada à amortização do saldo devedor, enquanto a outra parte corresponde aos juros e demais encargos. Existem diferentes sistemas de amortização utilizados nos financiamentos imobiliários, sendo os mais comuns o Sistema de Amortização Constante (SAC) e o Sistema Price. 

A dica aqui é: considere a possibilidade de realizar amortizações extras sempre que possível, o que pode reduzir significativamente o prazo e o custo total do financiamento. Assim, antes de assinar o contrato de financiamento, verifique todas as condições e simule diferentes cenários para garantir que o financiamento atenda às suas necessidades e expectativas financeiras.

 

6. Aluguel pode ser mais barato (mesmo!)

Muitas pessoas se limitam a comprar a parcela do financiamento ao valor do aluguel para determinar a opção mais barata. Mas como você viu, a compra de um imóvel envolve vários custos extras que você pode não ter condição de pagar sem um planejamento financeiro de, pelo menos, médio prazo.

No entanto, optar por pagar aluguel antes de comprar um imóvel não significa que o dinheiro do aluguel está sendo “desperdiçado”. Na verdade, essa pode ser uma etapa fundamental do processo de compra de imóvel. Isso serve para aqueles que vão morar sozinhos e mesmo para casais recém-casados. 

Por isso, alugar um imóvel pode ser mais barato, podendo ser inclusive a escolha que você faz hoje para que amanhã consiga comprar o imóvel que deseja.

 

Conclusão

Ao considerar todos esses aspectos e custos envolvidos na compra de um imóvel, você estará melhor preparado para tomar uma decisão, evitar surpresas desagradáveis no futuro.

Lembre-se de fazer uma pesquisa detalhada do mercado imobiliário, comparar diferentes opções de financiamento e buscar a orientação de profissionais qualificados para ajudá-lo ao longo do processo. Com planejamento e paciência, você estará um passo mais perto de alcançar o sonho da casa própria.

Fonte:
SP Imóvel
O Portal de Imóvel em São Paulo de São Paulo
www.spimovel.com.br/
Equipe de Jornalismo
Grupo de Portais Imobiliários
SP Imóvel
< Post Anterior
Como comprar um imóvel? Confira checklist completa
Próximo Post >
Quais profissionais contratar para comprar um imóvel da forma mais rápida e segura?