Financiamento
12.jul.2021
Tamanho da Fonte: A- | A | A+

É um bom momento financiar imóvel com o aumento da Selic?

A compra de um imóvel é uma grande decisão e requer planejamento

Imagem É um bom momento financiar imóvel com o aumento da Selic?
Logo Copiar Blog Notícia

A compra de um imóvel, seja para morar ou investir, é uma grande decisão e requer planejamento, análise de uma série de detalhes, além de estudar o mercado. E o crédito imobiliário está atrativo com a redução das taxas de juros e com as novas linhas de financiamento que os bancos lançaram.

Com esses estímulos, cresceu o número de financiamento de imóveis, pois o crédito imobiliário está mais acessível e com ótimas condições. Segundo dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) atingiram R$ 17,47 bilhões em maio de 2021 quando financiaram 73,2 mil imóveis nas modalidades de aquisição e construção. Esse foi o segundo maior número de imóveis financiados em um único mês. 

Porém, muita gente tem se questionado, se mesmo com alta da Selic para 4,25%, ainda é o melhor momento para financiar um imóvel? 

Sim. Este é um bom momento para comprar imóvel financiado. O mercado apresenta ótimas ofertas e muitas vezes com excelente custo-benefício. Aliado a isso, as taxas de juros estão abaixo da média dos últimos anos e os bancos criaram novas linhas de financiamento para atender os mais diversificados perfis de clientes.

A Selic chegou ao seu menor patamar histórico, quando atingiu 2%. E tornou o crédito imobiliário mais acessível e com ótimas condições. Hoje, a Selic está 4,25%, ou seja, o seu rendimento é de 2,975% ao ano. Mesmo assim, a taxa continua ainda muito atraente para o comprador, principalmente, se comparada aos 14,25% aplicados no Brasil em 2017.

 “A SELIC só regula um dos produtos de financiamento. Existem outros que continuam com taxas atraentes comparadas aos anos anteriores. Se estivermos falando de um produto de construção financiada, sempre será melhor financiar do que alugar ou investir. Já para imóveis prontos e usados, existem outros fatores que podem fazer com que o cliente ache produtos melhores no mercado para aportar seu capital, sendo que o sonho da casa própria é o que permeia o mercado brasileiro”, declara Vinícius Motta, cofundador da Minha Casa Financiada.

E para ajudá-los a entender melhor que ainda vale a pena financiar imóvel, o Portal SP Imóvel realizou algumas simulações de financiamento usando a TR, IPCA e a Poupança, nos Sistemas de Amortização SAC.

A simulação do financiamento imobiliário foi realizada nos sites da Caixa Econômica Federal, Banco Itaú e Bradesco, pois são os únicos que até o momento, permitem realizar a simulação do crédito com a correção pela poupança. E foi feita com dados de uma pessoa com mais de 40 anos, financiando um imóvel USADO no valor total de R$ 400.000,00, dando de entrada R$ 80.000 e o restante R$ 320.000,00 será financiado no prazo de 360 meses (30 anos) com Sistema de Amortização SAC. 

 

Compra de Imóvel Usado em São Paulo de R$ 400 mil
Entrada de R$ 80 mil (20%)
Financiado por 360 meses (30 anos)
Sistema de Amortização SAC
Banco Modalidade Juros 1ª Parcela Última Parcela Total
Itaú TR 6,90% a.a. R$ 2.842,80 R$ 918,84 R$ 738.200,94
Itaú Poupança 6,93% a.a. R$ 2.849,08 R$ 918,86 R$ 739.333,01
Bradesco TR 6,90% a.a. R$ 2.821,27 R$ 918,44 R$ 718.675,01
Bradesco Poupança 6,93% a.a. R$ 2.828,80 R$ 918,46 R$ 720.033.17
Caixa TR 7,80% a.a. R$ 3.054,15 R$ 919,47 R$ 682.650,94
Caixa Poupança 6,92% a.a. R$ 2.835,53 R$ 918,85 R$ 643.191,27
Caixa IPCA 4,75% a.a. R$ 2.284,89 R$ 917,32 R$ 543.800,89
Simulação realizada em 22 de junho de 2021


Observação: Na simulação acima, o total é apenas a soma das prestações, sem o valor do seguro e da taxa de administração.


No comparativo acima, podemos perceber que mesmo com o aumento da taxa da Selic para 4,25% ainda vale a pena financiar imóvel. Além do mais, até o momento, a TR também não apresenta alteração, ela está zerada e a taxa de juros está na média de 6,90% a.a. Portanto, se a escolha for a TR, o comprador vai pagar 6,90% a.a. até o final do contrato.

Por isso, antes de financiar um imóvel, cada pessoa precisa estudar o seu orçamento financeiro analisar a vantagens de cada linha e avaliar as condições e os riscos que vão querer correr a curto, médio e longo prazo. Se a ideia for amortizar esse financiamento em um curto período, talvez, o interessante seria arriscar nas novas modalidades, IPCA ou Poupança, porém, se a ideia é de longo prazo, nos 30 anos, a TR é a recomendada, mesmo que neste cenário pareça mais cara, porém o risco será menor com as taxas iguais durante aos 360 meses. 

A pandemia trouxe muitas reflexões, mudanças e proporcionou novos hábitos. O longo período de isolamento social, dentro das casas, fez com que pessoas passassem a enxergar melhor o seu imóvel. Passou-se a valorizar o seu lar. A busca por imóveis maiores, mesmo que mais distantes dos grandes eixos de negócios, porém com mais espaço. 

Além do mais, o déficit habitacional é muito grande no país. As pessoas sonham com a casa própria. Tem aqueles que vão se casar e vão sair da casa dos pais e buscam o seu próprio lar. Tem o casal que se separa e uma das partes precisa de um novo lugar para morar e tem aqueles que a família vai aumentar com a chegada de uma criança e muitas vezes precisam de uma casa maior. Ou seja, investir em imóvel significa segurança, patrimônio e a tão sonhada moradia!

Especialistas da área acreditam poderá haver elevação no preço dos imóveis, e com a recuperação da economia, a tendência é subir as taxas juros do financiamento imobiliário e com isso vai encarecer a parcela do financiamento.

Além disso, a inflação alta, desemprego e restrição do crédito estão entre os principais fatores que fazem com que os consumidores adiem a decisão da compra do próprio imóvel.

E comprar imóvel é uma atividade que demanda confiança, pois, normalmente, é uma aquisição que as pessoas fazem ao longo da vida e que leva cerca de 20 a 30 anos para quitar o saldo do financiamento imobiliário. E à medida que a economia se recupera, o consumidor se sente mais seguro para investir em imóveis. 

Portanto, o cenário é ideal tanto para quem quer comprar imóvel, quanto para as imobiliárias, construtoras e incorporadoras que precisam vender e investidores que buscam por boas oportunidades.

 

Fonte:
SP Imóvel
O Portal de Imóvel em São Paulo de São Paulo
www.spimovel.com.br/
Equipe de Jornalismo
Grupo de Portais Imobiliários
SP Imóvel
< Post Anterior
Qual o valor do Aluguel dos Apartamentos no Mandaqui?
Próximo Post >
Conheça os melhores parques de Santo André