Financiamento
07.abr.2021
Tamanho da Fonte: A- | A | A+

O que é Financiamento Imobiliário?

Saiba tudo sobre crédito para comprar imóvel

Imagem O que é Financiamento Imobiliário?
Logo Copiar Blog Notícia

A moradia é uma necessidade básica na vida. E a compra de um imóvel, é, muitas vezes, o maior investimento que alguém faz ao longo da vida. O financiamento imobiliário é a alternativa econômica mais utilizada pelos brasileiros na compra da casa própria, pois são raros os compradores que dispõe do valor à vista.
 

E para ajudá-los a entender como funciona o todo do processo do crédito habitacional, o Grupo SP Imóvel preparou um ESPECIAL SOBRE FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO.


O que é o financiamento imobiliário? E como funciona o financiamento imobiliário?


O financiamento imobiliário é quando uma pessoa vai comprar um imóvel pronto, construí-lo ou adquirir um terreno, seja residencial ou comercial e não tem todo o dinheiro para realizar essa operação. Então, os bancos públicos e privados “emprestam esse dinheiro” e pagam ao vendedor a quantia a ser financiada pelo comprador. 


Para o Financiamento Imobiliário é necessário atender os requisitos abaixo:

• Ser brasileiro nato ou naturalizado; 

• No caso de estrangeiro, possuir visto permanente no País;

• Estado Civil. Para os casados apresentar a certidão de casamento. 

 • Possuir o nome “limpo” e sem restrições. Será consultado em órgãos como: Serasa, SPC, BACEN e Receita Federal, Cartórios de protesto, Justiça Estadual e Federal etc;  - Qual a importância do score no financiamento imobiliário
 
• Comprovar Renda para demonstrar a sua capacidade financeira de pagamento da prestação mensal; - Como comprovar Renda no financiamento imobiliário


Leia também em nosso Blog:
 
 
O comprador vai pagar o seu financiamento imobiliário por meio de parcelas mensais de acordo com as condições de pagamento, tais como: taxas de juros e sistema de amortização, entre outros.   


O prazo máximo no financiamento de imobiliário é de até 35 anos e não é permitido financiar 100% do valor do imóvel. Alguns bancos geralmente financiam até 80% do valor total do imóvel e às vezes agregam taxas de vistoria, impostos de transação no financiamento (ITBI) e a taxa de registro. Portanto, será preciso pagar uma entrada com recursos próprios, que será impactado no valor da prestação, nas taxas de juros e no tempo do financiamento.  


Uma opção interessante para dar de entrada ou quitar o financiamento imobiliário é utilizar os recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Nos contratos dentro do SFH é possível usar nas situações abaixo: 

• Na aquisição ou construção de imóvel residencial urbano; 

• Na amortização ou quitação/liquidação do saldo devedor do financiamento; 

• No pagamento de parte do valor das prestações do financiamento. 
 

Porém, para quem for usar os recursos da sua conta do FGTS será preciso seguir umas regras básicas.  –  Como usar o FGTS no Financiamento Imobiliário


Até que seja quitado o financiamento imobiliário, o imóvel ainda não é seu. Portanto, ao longo da vigência do contrato, o imóvel pertence ao banco (alienação fiduciária – o próprio imóvel fica em garantia).  Saiba o que acontece com falta de pagamento do financiamento 


Atualmente, no Brasil, existem dois sistemas de financiamento imobiliário: O Sistema Financeiro da Habitação (SFH) e o Sistema Financeiro Imobiliário (SFI). É fundamental entender a diferença e importância de cada um deles. Saiba que a escolha do tipo do financiamento depende de diversos fatores, como renda, valor do imóvel, prazo, entre outros critérios. –  Acesse e confira:  Qual a diferença entre SFH e SFI?
 

Outro ponto importante que também vai afetar o prazo é a renda exigida e o Sistema de Amortização, método que o banco disponibiliza para pagar a dívida de forma parcelada. Acesse e confira:  O que é Tabela Price e SAC?


A parcela do Financiamento Imobiliário é composta pelas taxas de: amortização + juros; tarifa de administração mensal e de Seguro.  Acesse e confiraQual é a melhor forma de amortizar o financiamento imobiliário?
 

As taxas de Juros vão determinar a remuneração que será paga pelo uso do dinheiro emprestado. É importante ressaltar que as taxas do financiamento imobiliário variam conforme o perfil de cada cliente, prazo do financiamento e o relacionamento com o banco.  
 

Porém, o índice de atualização do financiamento é o fator primordial na escolha do financiamento, pois hoje os bancos oferecem diversos tipos de índice de atualização como a TR, Poupança, IPCA e Taxa Fixa. Quem é muito conservador economicamente, tem que tomar cuidado com as taxas que podem alterar drasticamente as parcelas no decorrer dos anos.


Podendo se transformar em um grande problema financeiro para o futuro da família. Caso queira saber mais, aconselhamos ler nossos artigos:
 

Ao iniciar o processo de financiamento de imóveis é essencial considerar também que haverá outros gastos, como por exemplo:


Vistoria do imóvel adquirido feita pelos bancos (maioria dos bancos cobram R$ 3.000);

Impostos de ITBI (Impostos de Transmissão de Bens Imóveis);

Taxas do Registro de Imóveis;

Entre outros. 


Parte dos procedimentos de liberação do crédito está ligado a apresentação de certidões e documentos. 


Comprar um apartamento ou uma casa é um investimento a longo prazo  e isso significa que comprometerá boa parte do orçamento mensal da família, por isso é preciso planejar e estudar quais os bancos têm as melhores taxas do crédito imobiliário. 
 

Portabilidade do Crédito Imobiliário


A Portabilidade do Crédito Imobiliário é uma alternativa interessante para diminuir o seu saldo devedor. As taxas de juros do financiamento variam muito de um banco para outro. E você pode mudar de instituição financeira para reduzir essa dívida, conforme RESOLUÇÃO nº 4.292 do Banco Central do Brasil (Dezembro de 2013).


O cidadão que decidir fazer a portabilidade do financiamento imobiliário terá que colocar tudo na ponta do lápis e verificar se a nova oferta vai valer a pena, pois a grande vantagem da portabilidade é a redução dos custos e só vai compensar trocar de banco se no final você gastar menos. Acesse e confira - Como saber se é interessante fazer a Portabilidade do Financiamento Imobiliário?  
 

Assessoria no financiamento imobiliário?


O processo de financiamento de imobiliário que leva em torno de 2 a 3 meses. Neste período, a pessoa vai providenciar a documentação, preencher formulários, regras do fundo de garantia, até mesmo, comparar e escolher banco. Ou seja, são muitas informações e a burocracia ainda é grande. Por isso, é fundamental contar com uma assessoria especializada para realizar o financiamento imobiliário.  Acesse e confira: Por que contar com uma assessoria no financiamento imobiliário?
 
 
 
Veja abaixo alguns termos muito utilizado no Financiamento Imobiliário:
 

Alienação Fiduciária é uma garantia que o banco precisa até que a dívida do seu financiamento seja paga, o banco fica como “proprietário do imóvel”, mas você tem a posse. Quando a dívida é quitada, você passa a ser proprietário. 

Amortização é o processo de redução de uma dívida. A parcela de amortização é o valor destinado ao pagamento de uma dívida, de forma periódica e de acordo com o sistema de amortização escolhido, no o prazo contratado.

Atualização monetária é o ajuste financeiro do valor da dívida, feito periodicamente, objetivando compensar a perda de valor da moeda no tempo.

Encargo mensal é a soma de todas as parcelas mensais pagas para viabilizar o financiamento composto por:

• Parcela de amortização + juros;
• Tarifa de Administração mensal, se prevista;
• Prêmios de Seguro MIP e DF
 
Financiamento é o valor emprestado pelo Banco para ajudá-lo a adquirir o seu imóvel.
 
Indexador é o índice a ser utilizado para atualização da dívida. O indexador padrão é a TR – Taxa Referencial, que também atualiza os depósitos de poupança e as contas vinculadas do FGTS. Para algumas modalidades de financiamento, a CAIXA oferece a opção de atualização pelo IPCA – Ìndice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo.

Prazo de amortização é o prazo acordado para pagamento da dívida, normalmente, expresso em meses.

Prestação de amortização e juros é a soma mensal dos valores pagos como juros e amortização do saldo devedor.

Saldo devedor é o valor do financiamento em determinando momento considerando as amortizações e atualizações mensais. É também o valor base para cálculo dos juros, amortização, seguros e eventual liquidação do financiamento.

Taxa de Juros é o valor, na forma percentual, que determina o a remuneração a ser paga pelo uso de um dinheiro emprestado. Os contratos trazem a taxa de juros na sua forma anual expressa nas formas nominal e efetiva. Para obter a taxa de juros mensal, basta dividir por 12 a taxa de juros nominal de seu contrato.
 
Fonte:
SP Imóvel
O Portal de Imóvel em São Paulo de São Paulo
www.spimovel.com.br/
Equipe de Jornalismo
Grupo de Portais Imobiliários
SP Imóvel
< Post Anterior
Qual o valor do Aluguel de Casas na Parada Inglesa?
Próximo Post >
Geração Y tem grande impacto no mercado imobiliário