Financiamento
Atualizado em: 03.jun.2021
Tamanho da Fonte: A- | A | A+

Como Mei pode comprovar renda no financiamento imobiliário?

Vejam quais são os documentos exigidos para provar a capacidade financeira

Logo Copiar Blog Notícia


Em função da pandemia de Covid-19, muita gente precisou se reinventar profissionalmente. Com isso, as pessoas investiram em um negócio próprio e cresceu o número de microempreendedores individuais (MEIs). 


De acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), atualmente, existem 11,3 milhões de microempreendedores individuais em atividade no país.


E na hora de comprar um imóvel, como o MEI pode comprovar renda no financiamento imobiliário, já que pode comprometer até 30% da renda mensal da família e o banco precisa avaliar a capacidade de pagamento das prestações a fim de evitar riscos de inadimplência. 


Nessas situações, os bancos costumam solicitar documentos específicos que possam comprovar a renda dos microempreendedores individuais. E cada instituição tem sua política e podem exigir declarações diferentes.


Veja abaixo, alguns, dos principais documentos que cada empresa pode exigir:


Documento oficial de identificação com foto, como por exemplo, RG e CNH (Carteira Nacional de Habilitação);



 • CPF, se não constar no documento de identificação;


 • Comprovante de endereço, podendo ser uma conta de luz, telefone, entre outros (Atualizado 30 dias);


 • Comprovante de estado civil (Certidão de nascimento ou de Casamento);


 • Cópia do Contrato Social da microempresa e última alteração dele


 • Extrato bancários (últimos 3 a 6 meses);


 Os extratos bancários dos últimos três a seis meses são importantes para demonstrar a movimentação financeira da sua conta, como os valores de entrada, transferências e depósitos. 


• Declaração de Imposto de renda (IRPF) com recibo de entrega;


Outro documento muito importante e solicitado como comprovante de renda do profissional autônomo é a Declaração de Imposto de Renda. O IR é um resumo da sua renda declarada no último ano, ou seja, serve como comprovante dos rendimentos.


• Recibo de Pagamento Autônomo (RPA)


Outra forma para comprovar renda é através do Recibo de Pagamento de Autônomo – RPA. Este documento também é uma forma de comprovação dos recebimentos provenientes da atividade independente.  Através dele é possível comprovar a prestação de atividade remunerada, seja ela para empresas ou para contratantes particulares. Por isso, é emitido por pessoa física.


• Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos (Decore)

 
Para ajudar os profissionais que trabalham de maneira autônoma foi criada a Declaração Comprobatória de Prestação de Rendimentos (Decore), este documento pode servir como comprovação de renda para aqueles que não possuem carteira assinada. Portanto, o Decore deve ser emitido por um contador habilitado pelo Conselho Regional de Contabilidade (CRC).


O contador terá o trabalho de analisar os recebimentos, os contratos de prestação de serviços, a declaração do imposto de renda, e com essas e outras informações, ele vai elaborar uma declaração para comprovar a sua renda. Por isso, a necessidade do profissional contador.


Para realizar o sonho da casa própria é fundamental se planejar e atentar-se ao máximo de detalhes que o Financiamento Imobiliário exige. Além disso, é muito importante ter uma boa pontuação do Score, já que este é um dos fatores para a aprovação do crédito. Veja aqui a importância do Score no financiamento imobiliário.


Por isso, é imprescindível, que o microempreendedor individual possua uma excelente organização com os documentos e a parte financeira do seu negócio. Assim, não corre o risco de negar a sua solicitação. Veja o que pode reprovar o financiamento imobiliário? 

 

Na hora de escolher o banco ideal para financiar a casa própria é preciso estudar todas as condições. É muito importante ficar atento com o valor das taxas de juros, pois são determinantes para indicar o custo do financiamento.


Uma taxa de juros mais alta será o suficiente para aumentar o valor da prestação e consequentemente o montante final que você terá de pagar. O nível de relacionamento do cliente com o banco interferirá na cota e taxa de juros da contratação do crédito imobiliário. Ou seja, é importante consultar mais de uma instituição bancária e avaliar as melhores alternativas de financiamento. Veja em nosso Blog: Qual é o melhor banco para Financiamento Imobiliário?

 

Por isso, é muito importante realizar simulações do financiamento imobiliário nos sites dos principais bancos, assim é possível ver quais instituições oferecem as melhores taxas do crédito imobiliário de acordo com o seu perfil. Nessas simulações é possível ter uma previsão das taxas de juros, seguros, amortização e dos valores das parcelas mensalmente. Leia em nosso Blog: Qual é a melhor taxa para o financiamento imobiliário?


Atualmente, as instituições financeiras disponibilizam diversas linhas de crédito com taxas de juros e condições de pagamentos diferenciados. Portanto, veja qual é o melhor índice que se enquadra nas suas condições financeiras. Confira em nosso Blog: Qual é o melhor índice no financiamento imobiliário: TR, Poupança ou IPCA?


Aproveite as dicas e conquiste o imóvel que tanto sonha, pois o mercado imobiliário apresenta oportunidades atrativas para quem deseja comprar a casa própria.

Fonte:
SP Imóvel
O Portal de Imóvel em São Paulo de São Paulo
www.spimovel.com.br/
Equipe de Jornalismo
Grupo de Portais Imobiliários
SP Imóvel
< Post Anterior
Qual o valor do Aluguel das Casas em Pirituba?
Próximo Post >
Qual o valor do Aluguel das Casas na Artur Alvim?