Financiamento
Atualizado em: 06.jul.2022
Tamanho da Fonte: A- | A | A+

Como funciona o refinanciamento de imóvel?

Conheça a principal vantagem deste empréstimo.

Imagem Como funciona o refinanciamento de imóvel?
Logo Copiar Blog Notícia

No financiamento imobiliário é normal surgir muitos termos e possibilidades que são desconhecidos de muitos. Mas você sabia que existe um tipo de empréstimo em que coloca o imóvel como garantia? E ainda com as menores taxas do mercado?


Esse processo é conhecido como Refinanciamento Imobiliário ou Empréstimo com Garantia e ou Home Equity, que nada mais é do que um tipo de empréstimo que utiliza a propriedade como garantia.


O refinanciamento imobiliário é um empréstimo feito com os bancos no qual será dado o seu imóvel, seja comercial, residencial, ou até mesmo um terreno como garantia do pagamento da dívida. Nesse caso, o imóvel ou a propriedade fica temporariamente em nome do banco até o refinanciamento ser quitado.
 


 “O refinanciamento também é conhecido como CGI (Crédito com Garantia de Imóvel) e Home Equity. Falando de forma bem simples, é quando o proprietário utiliza o seu imóvel para obter um crédito, neste caso o imóvel é dado em garantia para a instituição financeira”, o fundador da BuscaCredi ®, Marcio Palladino



O primeiro passo é conceder o seu imóvel à instituição financeira, já que ele servirá como garantia do valor desejado, para, assim, conseguir o crédito desejado. Esse imóvel será avaliado e uma porcentagem do seu valor será liberada ao final do processo ao solicitante do refinanciamento. 


Apesar dos termos serem bem parecidos, o refinanciamento é uma linha de crédito bem diferente do financiamento.


O que você vai ler neste nesse conteúdo:
 

  • Diferença do Financiamento e do Refinanciamento
  • Diferença do Refinanciamento e da Hipoteca
  • Principal Vantagem do Refinanciamento
  • Quem pode fazer o refinanciamento?
  • Qual o prazo de pagamento do refinanciamento?
  • Qual tipo de imóvel que pode ser refinanciado?
  • O imóvel precisa estar quitado para refinanciar?
  • O que é levado em consideração?
  • Principais cuidados no refinanciamento?

 

Qual é a Diferença do Financiamento Imobiliário e do Refinanciamento de Imóvel?


Enquanto no financiamento você tem um valor de entrada na compra de um bem, e o valor restante se torna uma dívida acrescida de juros, no refinanciamento de imóvel, você consegue a liberação do valor e pode usar do jeito que quiser e não necessariamente na compra de algo específico.

 

 

Qual é a diferença entre refinanciamento e hipoteca?


A maior diferença entre eles está no contrato estabelecido.  Palladino explica que são operações distintas. “Na hipoteca é um ato que é praticado para dar garantia a instituição financeira. Além disso, atualmente, é utilizado outro instrumento, chamado de Alienação Fiduciária, que é mais moderado e dá mais garantia e segurança na operação. Já o refinanciamento é um nome mais popular para o tipo de operação onde um proprietário, utiliza o seu imóvel para fazer um empréstimo, e neste caso é utilizado a Alienação Fiduciária como instrumento para garantir a operação.”


Ou seja, no refinanciamento de imóvel é feito um contrato de alienação fiduciária. Isso significa, que caso, você deixe de pagar as parcelas do empréstimo, o banco pode tomar o seu imóvel como garantia de um jeito mais rápido, basta entrar em contato com o cartório de registro de imóveis. Assim, a alienação fiduciária torna o banco dono indireto do imóvel na assinatura do contrato.


Já na hipoteca, o processo é mais demorado, caso o banco sofra inadimplência. A justiça deve ser acionada para que o imóvel passe do devedor para instituição financeira. E esse processo pode levar anos para ser finalizado.


Aproveite e confira nosso artigo: O que é Alienação Fiduciária?

 

 Qual é a principal vantagem do refinanciamento?


A grande vantagem do refinanciamento é obter taxas de juros favoráveis e mais baixas do que o empréstimo pessoal. Pois como o imóvel fica em garantia, os juros ficam mais baixos, isso ocorre, por que as linhas de crédito sem garantia tendem a ter maiores níveis de inadimplência.


De um modo geral, sem a garantia concedida em contrato a instituição financeira, as pessoas deixam de pagar com mais facilidade. O que não ocorre com o crédito com garantias, como o refinanciamento de imóvel.


Portanto, com medo de perder o bem, as pessoas, em geral, tendem a pagar em dia as parcelas dos empréstimos. Isso torna essa concessão do crédito mais segura para o banco. E é lógico que com mais segurança reduzem as taxas de juros.


“Continuar usufruindo do imóvel e levantar capital para utilizar como quiser, com as taxas de juros que estão entre as mais baixas do mercado”, comenta Palladino.

 

Confira nossos artigos:

O que acontece com a falta de pagamento?
Qual é o prazo para perder o imóvel?
O que fazer quando atrasar a parcela do financiamento?

 

Quem pode fazer o refinanciamento?


O fundador da BuscaCredi ® explica que é uma linha de crédito exclusiva para quem possui um imóvel. Já que o bem será “refinanciado”.

 

Qual o prazo de pagamento do refinanciamento?


Em média, o prazo de pagamento do refinanciamento é de até 240 meses, vai depender da instituição e da idade do tomador.

 

Leia também em nosso blog:

Quais são as etapas do financiamento imobiliário?
Quanto tempo demora o processo do financiamento?
Como comprovar renda no financiamento imobiliário?

 

É todo imóvel que pode ser refinanciado?


“Não! O imóvel é avaliado pelo agente financeiro e este pode ser aceito ou não. Normalmente, são melhores aceitos imóveis residenciais localizados em área urbana de grandes cidades.”, explica Palladino.

 

O imóvel precisa estar quitado para refinanciar?


“Isso depende do agente financeiro. Alguns aceitam e outros não”, garante o fundador da BuscaCredi.


 Algumas financeiras refinanciam imóveis ainda financiados, no entanto, elas costumam aceitar imóveis que tenham, pelo menos, 50% do valor quitado.


A avaliação do imóvel é feita pelo próprio banco, que envia um especialista para estabelecer o valor de mercado do bem. E o seu imóvel pode ser refinanciado várias vezes, mas não ao mesmo tempo. Ou seja, você precisa quitar o primeiro empréstimo com garantia de imóvel, antes de pedir o segundo. E assim por diante.


No refinanciamento, o que é levado em consideração? É passado por todo o processo de análise de crédito novamente?


Segundo Palladino, o processo é muito similar à aquisição do financiamento imobiliário. “É levado em consideração a renda, situação cadastral dos proprietários, que passarão por uma análise de crédito.”

 

 

Quais os principais cuidados que deve ter no refinanciamento?


O principal cuidado é saber usar o dinheiro do empréstimo de forma consciente. “Como o dinheiro é liberado na conta do dono do imóvel e ele pode utilizar como quiser, é muito importante avaliar tudo com cautela, principalmente porque o imóvel pode ser levado a leilão por falta de pagamento das parcelas. Mas é uma modalidade fantástica, com taxas de juros entre as mais baixas do mercado, e pode ser o gatilho para um grande projeto de vida e profissional”, avalia o fundador da BuscaCredi.

 

 Com as taxas de juros mais em conta do que na maioria dos empréstimos, realizar um refinanciamento imobiliário pode ser uma boa opção se você tem outra dívida com juros mais altos, como por exemplo, o cheque especial ou cartão de crédito. Outra possibilidade é a de realizar um investimento na sua empresa ou ampliar o negócio, já que muitas vezes essa linha de crédito tem juros mais baixos do que os empréstimos pessoais.

 
Portanto, o interessado no refinanciamento imobiliário deve procurar a instituição financeira que trabalhe com esta modalidade, fazer uma pesquisa criteriosa e analisar as melhores taxas.

 

Leia também

Por que contar com assessoria de imprensa no Financiamento?
Qual é o melhor banco para o financiamento?
Os bancos avaliam as condições jurídicas e problemas do imóvel?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte:
SP Imóvel
O Portal de Imóvel em São Paulo de São Paulo
www.spimovel.com.br/
Equipe de Jornalismo
Grupo de Portais Imobiliários
SP Imóvel
< Post Anterior
INCC: o que é? Saiba tudo sobre ele
Próximo Post >
Inquilino pode ser despejado por causa de perturbação na vizinhança?