Financiamento
29.out.2021
Tamanho da Fonte: A- | A | A+

Quais são as etapas para comprar um imóvel financiado?

Veja o passo a passo do financiamento imobiliário

Imagem Quais são as etapas para comprar um imóvel financiado?
Logo Copiar Blog Notícia
Muitos sonham em conquistar a casa própria e a compra do imóvel é um dos momentos mais importantes na vida de uma pessoa. Comprar um imóvel exige uma série de cuidados, atenção e muita pesquisa já que será uma das decisões mais importantes de toda a vida.

Na hora de comprar imóvel, são poucos os brasileiros que conseguem pagar o valor do imóvel à vista. Por isso, o financiamento imobiliário é um nos meios mais utilizados para a aquisição da casa própria. Mas esse processo inclui algumas etapas burocráticas, que muitos não sabem nem por onde começar e muitas vezes acabam desistindo da aquisição da casa própria.

E para não deixar de realizar o sonho da casa própria, o Grupo SP Imóvel listou as etapas do processo de compra do imóvel financiado.


1- Planejamento


A aquisição de uma casa é um investimento de longo prazo, e, como na maioria dos casos, às pessoas adquirirem imóveis através do financiamento imobiliário, significa que comprometerá pelo menos 30% da renda mensal da família por um longo período. E isso, pode levar em média de 30 a 35 anos para quitar o saldo devedor.

Um dos principais fatores que as instituições bancárias levam em consideração na análise do seu crédito é o comprometimento da sua renda. A prestação do imóvel financiado não pode exceder 30% da sua renda bruta

Por isso, para comprar a sua casa própria é importante ter um planejamento financeiro. Faça um fluxo de caixa da renda familiar e os recebimentos futuros, abater as despesas particulares como cartão de crédito, alimentação, combustível, estudos que sejam necessárias para os próximos anos. Assim é possível obter uma boa perspectiva da capacidade de pagamento das prestações do financiamento imobiliário, e assim, evitar a inadimplência, já que pode ocasionar em alta na taxa mensal.
 

2- Escolha o Imóvel


Defina o tipo de imóvel que melhor vai satisfazer os desejos e anseios de sua família. Depois escolha o bairro em que deseja morar e faça uma pesquisa detalhada sobre a região, conheça a vizinhança, verifique se o local está dentro das suas expectativas, confira se a rua está sujeita a alagamento. Se possível faça uma visita em dias e horários diferentes, pois um lugar tranquilo pode ser intransitável em dias úteis.
 

3- Pesquise as melhores taxas em vários bancos


Na hora de escolher o banco ideal para financiar a casa própria é preciso estudar todas as condições, portanto, faça simulações do financiamento imobiliário nas instituições bancárias. É muito importante ficar atento com o valor das taxas de juros, pois são determinantes para indicar o custo do financiamento. Uma taxa de juros mais alta será o suficiente para aumentar o valor da prestação e, consequentemente, o montante final que você terá de pagar. 

O nível de relacionamento do cliente com o banco interferirá na cota e taxa de juros da contratação do crédito imobiliário. Ou seja, por isso, é importante consultar mais de uma instituição bancária e avaliar as melhores alternativas de financiamento.

E na hora de financiar um imóvel, normalmente, as pessoas avaliam apenas as taxas de juros oferecidas pelos bancos, porém, esse pode ser o maior erro. Pois, nem sempre com a taxa de juros mais baixa, o financiamento ficará mais barato, pois pode ser que as taxas de administração, tarifa de contratação/documentação e seguros envolvidos são mais caros. 

Sendo assim, além de comparar os juros praticados no mercado, é importante também comparar o CET – Custo Efetivo Total de cada simulação. Acesse aqui e saiba mais sobre o Custo Efetivo Total. 
 

4- Documentação


Para agilizar o seu processo do financiamento imobiliário, é muito importante mandar a documentação abaixo corretamente:

Documento oficial de identificação com foto, como por exemplo, RG e CNH (Carteira Nacional de Habilitação);
CPF, se não constar no documento de identificação;
Comprovante de endereço, podendo ser uma conta de luz, telefone, entre outros (Atualizado 30 dias);
Comprovante de estado civil (Certidão de nascimento ou de Casamento);
Três últimos meses de holerites;
Declaração de Imposto de renda (IRPF) com recibo de entrega;
Extrato do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FGTS;
 

5- Análise da Renda


E comprovar a renda no financiamento imobiliário pode ser um grande desafio para muitos. Pois, nem todo mundo consegue comprovar renda sozinho no financiamento imobiliário. E os bancos não podem aprovar um financiamento com o valor da prestação superior aos 30% da renda da família.

Alguns fatores são levados em consideração para que a aprovação do crédito ocorra, sendo eles:

Idade do comprador: influenciando o prazo e a taxa de seguro. Quanto mais velho 
for o comprador, o prazo será menor e a taxa de seguro, maior.

Renda: sendo o fator que mais influenciará os bancos na hora de liberar ou não o financiamento. Lembre-se: é necessário que o comprador tenha separado em torno de 25% a 30% da sua renda mensal, para o pagamento das parcelas mais caras do financiamento.

Score bancário: avaliação interna do banco, que dita o seu histórico de pagamento e etc.

Restrição ao Crédito: É muito importante não apresentar nenhuma restrição ao crédito, o famoso “nome sujo” para garantir aprovação do seu financiamento imobiliário.

Um comprador com restrição ao crédito, normalmente, não conseguirá financiar um imóvel porque a instituição bancária não vai querer arriscar emprestar dinheiro para esse cliente e correr o risco dele não pagar as prestações e ficar inadimplente.


6- Avaliação do Imóvel


A instituição bancária vai contratar uma empresa especializada para realizar a vistoria do imóvel e verificar as condições dele, e assim, emitirá um laudo com o valor do imóvel.


7- Assinatura do contrato e Registro


Após análise minuciosa dos documentos de todos envolvidos, o banco reúne compradores e vendedores para assinatura do contrato. 

Depois do contrato assinado deve ser registrado no cartório de imóveis competente. Após isso, é preciso devolver ao banco a via do contrato e a matrícula atualizada do imóvel.


8- Finalmente a Liberação do Dinheiro


Após comprovado o registro do imóvel, finalmente o dinheiro estará na conta do vendedor em até cinco dias.
 

O processo parece longo e complicado e uma alternativa interessante e ágil para comprar um imóvel financiado é contar com uma assessoria para financiamento imobiliário. A empresa especializada no crédito imobiliário dará todo o suporte e orientação necessária de uma forma ágil e segura, ela será a intermediadora entre o cliente e o banco.

A aquisição de um imóvel é algo que precisa ser analisada com cautela, pois existe uma série de detalhes a ser estudada. A burocracia existente na compra de um imóvel gera inúmeras dúvidas e, muitas vezes, as pessoas desistem de adquirir um imóvel por não saber por onde começar.

E para não desistir de conquistar o imóvel que tanto sonha, aproveite as nossas dicas e fique de olho nas oportunidades que o mercado apresenta e faça um bom negócio!!!
 
Caso queira conhecer mais sobre os programas de Financiamento Imobiliário de cada instituição bancária, aconselhamos ler nossos artigos:
 
:
Fonte:
SP Imóvel
O Portal de Imóvel em São Paulo de São Paulo
www.spimovel.com.br/
Equipe de Jornalismo
Grupo de Portais Imobiliários
SP Imóvel
< Post Anterior
Conheça os museus no Ipiranga, Zona Sul - SP
Próximo Post >
Conheça as escolas particulares em Pinheiros