Financiamento
Atualizado em: 18.fev.2022
Tamanho da Fonte: A- | A | A+

Vale a pena financiar imóvel em 2022?

Confira as condições para compra da casa própria

Imagem Vale a pena financiar imóvel em 2022?
Logo Copiar Blog Notícia


A compra de um imóvel, seja para morar ou investir, é uma grande decisão e requer planejamento, análise de uma série de detalhes, além de estudar o mercado. Com as dúvidas e incertezas da nossa economia, inflação em alta e a constate elevação da Selic, vale a pena financiar um imóvel em 2022?


Os últimos dois anos, 2020 e 2021, o mercado imobiliário apresentou taxas de juros bem atrativas para comprar a casa própria através do financiamento imobiliário, pois além da TR, zerada desde 2007, a Selic, taxa básica de juros da economia, chegou ao menor patamar histórico quando atingiu 2% ao ano.


Para atrair os mais variados perfis, os bancos, Caixa, Itaú e Bradesco criaram a modalidade de financiamento com rendimento da Poupança. Essa linha acompanha a Selic, ou seja, nessa modalidade os juros são compostos por uma parte fixa, mais uma parte variável, atrelada com o rendimento da poupança.


Porém, já no ano passado, o Banco Central, para controlar a inflação, deu início à série de altas da Selic, e fechou 2021 no patamar de 10,75% a.a. Essa alta da Selic impacta diretamente no mercado imobiliário, tornando o crédito mais caro tanto para quem quer financiar um imóvel como para as incorporadoras que precisam tomar recursos para construir.

 

Fonte: Freepik


Vale a pena financiar imóvel em 2.022?


E você deve estar se perguntando se vale a pena financiar um imóvel em 2.022 com o aumento nas taxas de juros?

Sim, ainda vale a pena financiar um imóvel, pois investir em imóvel significa segurança, patrimônio e a tão sonhada moradia! Além do mais, o déficit habitacional é muito grande no país. As pessoas sonham com a casa própria. Tem aqueles que vão se casar e vão sair da casa dos pais e buscam o seu próprio lar. Tem o casal que se separa e uma das partes precisa de um novo lugar para morar e tem aqueles que a família vai aumentar com a chegada de uma criança e muitas vezes precisam de uma casa maior.


A aquisição de um imóvel é algo que precisa ser analisada com cautela, pois existe uma série de detalhes a ser estudada. Por isso, é muito importante realizar simulações do financiamento imobiliário nos sites dos principais bancos, assim é possível ver quais instituições oferecem as melhores taxas do crédito imobiliário de acordo com o seu perfil. Nessas simulações é possível ter uma previsão das taxas de juros, seguros, amortização e dos valores das parcelas mensalmente. Outro detalhe muito importante para se atentar é justamente a modalidade de financiamento, se será pela TR, IPCA, ou Correção da Poupança.


Atualmente, as instituições financeiras disponibilizam diversas linhas de crédito com taxas de juros e condições de pagamentos diferenciados. Portanto, veja qual é o melhor índice que se enquadra nas suas condições financeiras.


Caixa Econômica Federal não pretende elevar juros do crédito imobiliário


Mesmo diante das altas da Selic, a Caixa Econômica Federal não pretende aumentar as taxas de juros do crédito imobiliário, de acordo com o anúncio feito pelo presidente do Banco, Pedro Guimarães.


“Não estamos imaginando um aumento da taxa de juros do crédito imobiliário. Isso já aconteceu há dois meses”, explicou Pedro Guimarães, ao apresentar o resultado histórico da Caixa em 2.021.


Foram mais de R$ 140 bilhões contratados ao longo do ano, maior valor da história do banco, um crescimento de mais de 21% na comparação com o ano anterior e de 56,1% em relação a 2019. O aumento chega a 74,5%, se comparado com 2018.


Ainda durante a Live, o presidente afirmou que Caixa prevê um crescimento de pelo menos 10% em relação ao ano de 2021 no crédito imobiliário.

 
Impacto da Selic no Financiamento Imobiliário


Mas e hoje, com a Selic rendendo 10,75% a.a. como fica o Financiamento Imobiliário?


O financiamento imobiliário com Correção pelo rendimento da Poupança é mais uma linha de crédito que a Caixa, Itaú e Bradesco oferecem para o Crédito Imobiliário. Essa linha acompanha a Selic, ou seja, nessa modalidade os juros são compostos por uma parte fixa, mais uma parte variável, atrelada com o rendimento da poupança.


Com a Selic no patamar de 10,75% a.a., ela ultrapassou o teto definido, ou seja, toda vez que a Selic passa de 8,5% a.a., a poupança passa a render um valor fixo que é 6,17% a.a. Portanto, a taxa de juros com rendimento da poupança será formada com a variável de 6,17% + o valor fixo + TR.


Na Caixa Econômica, a taxa de juros calculados são apurados somando a taxa fixa a partir de 2.95%a.a.' efetiva mais a taxa variável em função do rendimento da poupança, vigente a cada vencimento da prestação, atualmente de 6.17%a.a.' Efetiva.


O valor fixo de 6,17% a.a. é um limitador para aqueles que possuem financiamento com correção da poupança. Ou seja, vai ter esse aumento nas parcelas, mas as próximas parcelas não vão ficar mais caras, conforme vinha acontecendo conforme a Selic subia.


Mas atenção! O que pode acontecer ainda nos financiamentos corrigidos pela caderneta de poupança é a parcela aumentar um pouquinho mais, por conta do aumento do saldo devedor causado pela correção da TR, que deixou de ser 0.

 

Pandemia e o mercado imobiliário


A pandemia trouxe muitas mudanças, reflexões e proporcionou novos hábitos. E com o isolamento, as pessoas passaram a valorizar mais os imóveis residenciais e passaram a buscar por imóveis com uma área maior área, que proporcionasse conforto ao home-office e ao homeschooling. Atrelado a isso, os juros do financiamento imobiliário ficaram mais baixos. Fatores esses que influenciaram na busca por imóveis.

 

Fonte: Freepik


Valores dos Imóveis em 2.022


De acordo com especialistas, a tendência é os imóveis ficarem mais caros devido ao maior custo para as construtoras e incorporadoras produzirem com o alto custo das matérias-primas. Portanto, se você possui uma oportunidade de comprar imóvel, aproveite o momento, mesmo que as condições das taxas de juros não são as de dois anos atrás.


E como já mencionamos no texto acima, investir no mercado imobiliário é sinônimo de segurança, valorização e um bom negócio, mas cuidado com a escolha da linha dos financiamentos e taxas de juros. Por isso, é muito importante realizar simulações do financiamento imobiliário nos sites dos principais bancos, assim é possível ver quais instituições oferecem as melhores taxas do crédito imobiliário de acordo com o seu perfil.


Nessas simulações é possível ter uma previsão das taxas de juros, seguros, amortização e dos valores das parcelas mensalmente. Uma taxa de juros mais alta será o suficiente para aumentar o valor da prestação e consequentemente o montante final que você terá de pagar.


O nível de relacionamento do cliente com o banco interferirá na cota e taxa de juros da contratação do crédito imobiliário. Ou seja, é importante consultar mais de uma instituição bancária e avaliar as melhores alternativas de financiamento.

 

Simulação de Financiamento Imobiliário


E para ajudá-los a entender melhor que ainda vale a pena financiar imóvel, o  Blog do SP Imóvel realizou algumas simulações de financiamento usando a TR, IPCA e a Poupança, nos Sistemas de Amortização SAC.


A simulação do financiamento imobiliário com rendimento da poupança foi realizada nos sites da Caixa Econômica Federal, Banco Itaú e Bradesco, pois são os únicos que até o momento, permitem realizar a simulação do crédito com a correção pela poupança. E foi feita com dados de uma pessoa com mais de 40 anos, financiando um imóvel USADO no valor total de R$ 400.000,00, dando de entrada R$ 80.000 e o restante R$ 320.000,00 será financiado no prazo de 360 meses (30 anos) com Sistema de Amortização SAC.

 

Compra de Imóvel Usado em São Paulo de R$ 400 mil
Entrada de R$ 80 mil (20%)
Financiado por 360 meses (30 anos)
Sistema de Amortização: SAC
Correção anual pela TR (Tabela Referencial)
Bancos Taxa de
Juros Efetiva 
a.a.
CET
Custo
Efetivo Total
a.a.
1ª  Parcela Última
Parcela
Total do Financ.
Bradesco -
TR  + Taxa Fixa
9,90% 11,28% R$
3.602.05
R$ 919,83 R$
856.164,65
Bradesco
Poupança + Taxa Fixa
9,16% 10,55%

R$
3.420,51

R$ 920,00 R$
823.397,37
Itaú -
TR + Taxa Fixa
9,70%  11,04% R$
3.549,17
R$ 920,77 R$
850.857,24
Itaú
Poupança + Taxa Fixa
9,66% 11,00% R$
3.539,37
R$ 920,74 R$
849.088,63
Caixa - TR
Taxa Fixa
8,80% 10,21%  R$
3.302,01
R$ 920,15 R$
811.688,08
Caixa -
Poupança + Taxa Fixa
9,52% 10,97% R$
3.479,19
R$ 920,65 R$ 811.688,08
Caixa - IPCA
 + Taxa Fixa
4,45% 5,97%  R$
2.208,12
R$ 917,11 R$
614.240,59
Caixa - Taxa
de Juros Fixa
9,75% 11,147% R$
3.535,56
R$
920,80
R$
853.495,89
Simulações realizadas em 08/01/2022  

 

Observação 1: A simulação acima não possui a composição de renda e não estão inclusas despesas com documentação, como, por exemplo, o ITBI.


Observação 2: Não realizamos simulação nos demais bancos, porque as informações com o aumento da Selic até o momento do fechamento da matéria ainda não estavam atualizadas no site das instituições bancárias.


Antes de financiar um imóvel, cada pessoa precisa estudar o seu orçamento financeiro analisar a vantagens de cada linha e avaliar as condições e os riscos que vão querer correr a curto, médio e longo prazo. Se a ideia for amortizar esse financiamento em um curto período, talvez, o interessante seria arriscar nas novas modalidades, IPCA ou Poupança, porém, se a ideia é de longo prazo, nos 30 anos, a TR é a recomendada, mesmo que neste cenário pareça mais cara, porém o risco será menor com as taxas iguais durante aos 360 meses. 

 

Portabilidade do Financiamento Imobiliário


Uma alternativa interessante para diminuir o seu saldo devedor é a Portabilidade. As taxas de juros do financiamento imobiliário variam muito de um banco para outro. E você pode mudar de instituição financeira para reduzir essa dívida, conforme RESOLUÇÃO nº 4.292 do Banco Central do Brasil (Dezembro de 2013).

 


"O objetivo é dar à pessoa que fez um financiamento imobiliário a chance de reduzir sua dívida, procurando melhores taxas de juros e/ou redução das taxas de administração em outros bancos", explica Fabricio Sicchierolli Posocco, advogado especialista em direito imobiliário.
 


Portanto, se você, entrar em um financiamento hoje com taxa de juros a partir de 9,90% a.a. e daqui alguns anos, as taxas de juros apresentarem redução, como aconteceu nos anos de 2.020 e 2.021, você poderá optar pela Portabilidade do Financiamento Imobiliário, assim, poderá reduzir as taxas de juros do financiamento imobiliário.


Mas vale lembrar, que a pessoa que decidir fazer a portabilidade do financiamento imobiliário terá que colocar tudo na ponta do lápis e verificar se a nova oferta vai valer a pena, pois a grande vantagem da portabilidade é a redução dos custos e só vai compensar trocar de banco se no final você gastar menos. 

 


Caso queira conhecer mais sobre os programas de Financiamento Imobiliário de cada instituição bancária, aconselhamos ler nossos artigos:
 

 

Fonte:
SP Imóvel
O Portal de Imóvel em São Paulo de São Paulo
www.spimovel.com.br/
Equipe de Jornalismo
Grupo de Portais Imobiliários
SP Imóvel
< Post Anterior
Vale a pena comprar terreno na praia?
Próximo Post >
Veterinários em São Paulo e 3 dicas para cuidar da saúde do seu pet